Karina Kuschnir

desenhos, textos, coisas

Artes, cadernos, livros e coisas impossíveis

12 Comentários

Imaginem um lugar onde as marcas do tempo são belas, as falhas são histórias, as fragilidades são forças… Esse é o Atelier Palmarium, um espaço cheio de delicadezas, onde se respira fabricação de livros. Cada gesto de Cristina Viana, sua dona-artista, revive e reinventa tradições de centenas de anos…

Palmarium 01

Suas mãos são como as dos artesãos que aprederam com seus mestres, que aprenderam com seus mestres, que aprenderam com seus mestres… Papéis, linhas, agulhas, instrumentos, tecidos, colas, pincéis, máquinas de apertar, de cortar, de gravar… Tudo isso se junta de forma ritual e cheia de mágica para fazer um livro ou um caderno — e lindos!

Tive o prazer de conhecer um pouquinho desse mundo no início de abril/2015, num workshop de encadernação do tipo códice. O objetivo era nos ensinar a fazer um caderninho com papel de aquarela, ou “sketchbook”, como dizemos no mundo do desenho.

Palmarium 02

Essas são as imagens das minhas anotações das quase 8 horas de trabalho. Depois de uma certa altura, foi difícil continuar anotando, como vocês podem ver… Foram muitos detalhtes e coisas que nunca imaginei que existissem, medidas em 0,00 milímetros e precisas como num plano de vôo para a lua.

Palmarium 03

Abaixo, o caderno pronto (à esquerda) com os desenhos iniciais mostrando a capa-envelope — uma pequena obra de arte em si mesma, proposta pela Cristina para que pudéssemos terminar o trabalho num dia só.

Palmarium 04

Sobre os livros:

Toda essa aventura me fez lembrar de um monte de livros sobre livros que aprendi a amar ao longo dos anos… De tudo do Umberto Eco, do Robert Darnton e do José Mindlin, passando por Dom Quixote, pelos policiais de John Dunning, pelos textos da Alessandra El-Far, pelo livro sobre handmade-books que recuperei de um empréstimo, pelos “leitores-comuns” de Virginia Woolf e Anne Fadiman (cujo amor pelos livros foi tanto que levou seu filho a comê-los!), pelos autobiográficos de Anne Lamott, Stephen King e todos os seus companheiros-escritores de estante… E até do despretensioso “As memórias do livro: romance sobre o manuscrito de Sarajevo” de Geraldine Brooks (Ediouro, 2008, trad. Marcos Malvezzi Leal), porque fala de restaurações, ilustrações e páginas de um livro-tesouro que passa de mão em mão por centenas de anos.

Essa semana soube de duas pessoas que leram livros comentados por mim aqui no blog. Fiquei tão feliz! E me lembrei de indicar para vocês o blog “Seven Impossible Things Before Breakfast“, mantido por Jules Danielson, sobre os bastidores da ilustração de livros infantis (principalmente nos EUA). O arquivo do blog é vertiginoso, a seção de entrevistas é incrível e as imagens de ilustrações-em-processo são fantásticas.

O título do blog é uma homenagem a outro ícone dos apaixonados por livros: Lewis Caroll! É uma referência a um diálogo da Rainha Branca com Alice, em “Através do espelho”. Alice diz que “não se pode acreditar em coisas impossíveis”. Mas a Rainha discorda: “Quando eu tinha a sua idade”, conseguia “acreditar em até seis coisas impossíveis antes do café-da-manhã”!

Por que parar em seis?, pensou Jules… E todas as semanas ela também publica uma pequena listinha de sete coisas (Kicks!) “impossivelmente-legais-bonitas-interessantes-hilárias-ou-dignas-de-nota” que aconteceram na vida dela relacionadas ou não a livros. E ainda convida os leitores do blog a compartilhar as suas nos comentários.

Acho que vou adotar a prática aqui no blog também, pois nunca consegui explicar nem pra mim mesma a palavra “coisas” no subtítulo que inventei (“desenhos, textos, coisas”). Ficam sendo “coisas impossivelmente-legais-bonitas-interessantes-hilárias-ou-dignas-de-nota” que eu conseguir lembrar da minha semana passada, sem número fixo, que de fixa na vida já basta a conta da Light.

Coisas impossivelmente-legais-bonitas-interessantes-hilárias-ou-dignas-de-nota da semana:

* Alice me deu muitos abraços na sexta-feira porque eu a fiz estudar uma matéria que, afinal, caiu na prova de matemática (apesar de ela jurar que não cairia).

* Ensinei o Antônio a escrever uma referência bibliográfica — ele foi o único da turma que apresentou a formatação “correta” segundo a professora. Eu não acredito em “formatações corretas”, mas valeram 2 pontos num trabalho! Ufa. Meus anos e anos editando livros não foram em vão…

* Descobri no forno um empadão com a palavra CLARA feita de massa que me fez chorar… (Presente-surpresa da nossa funcionária Jô para o aniversário da Clarinha.)

* Vi um documentário lindo: “Margaret Mee e a Flor da Lua” (6,00 reaiszinhos na locadora Cavideo).

* Ao invés de fazer o quase-atrasado relatório do CNPq, tenho lido textos e mais textos sobre ilustração científica, meu novo tema de pesquisa pelos próximos 3 anos!

Sobre os desenhos: Registros do workshop de encadernação feitos com canetinhas Pigma Micron e aquarelados no caderninho Laloran. Acrescentei algumas colagens de linhas, restos de papéis e tecidos. Muita gente viu os corações (na terceira imagem) e não reconheceu o local onde almoçamos… Alguém adivinha?

 

12 pensamentos sobre “Artes, cadernos, livros e coisas impossíveis

  1. Pingback: coisas impossivelmente-legais-bonitas-interessantes-hilárias-ou-dignas-de-nota da semana: | Andirobinhas e Mozaum

  2. Pingback: Karina Kuschnir

  3. Que lindo registro e que homenagem emocionante, Karina! Sou muito grata pela oportunidade de receber em meu espaço pessoas que trazem tanta riqueza de troca. Beijos, Cristina Viana

    • Puxa, fico muito feliz que você tenha gostado!! Estava adiando o post porque a responsabilidade de falar da Palmarium era muita. rs Parabéns pela sua trajetória! Seu estudio respira integridade, arte e um projeto de trabalho muito lindo! E tudo ainda vem embalado pela sua generosidade em nos transmitir uma montanha de conhecimentos e materiais. Nós é que temos que te agradecer, Cristina. Espero poder estar aí nos próximos… Fiz um novo sketchbook sozinha (como conto no post dessa semana). Estou meio sem coragem de te mostrar, mas vou levar num próximo encontro. Bj!

  4. Que maravilha: adorei ver suas anotações-desenhos sobre o workshop de encadernação que também acho uma linda arte. Seus textos são deliciosos e listar coisas impossívelmente- legais-interessantes-bonitas -hilárias-ou -dignas-de-nota-da-semana é mais uma de suas ótimas idéias. Beijos

    • Prima querida, muito obrigada pela visita e pelo comentário tão gentil! bora sair um dia desses juntas para desenhar/fotografar? Tudo é melhor com companhia! O que vc acha?

  5. saudade, comadre!!!
    para definir coisa:
    quando eu era menina por fora, porque por dentro ainda sou, eu morava em brasilia.
    minha madrinha que ainda não era minha madrinha, só depois eu a batizei assim, costurava.
    o filho dela tava lá fora brincando com outros meninos, atentando as idéias deles…
    um deles veio se queixar:
    “dona coisa, o seu coisinho tá me coisando!”
    beijo e saudade. muita.
    clau

  6. Obrigado, Kau, por este post tão colorido de coisas. Escreves desenhando e desenhas escrevendo… E pintas fazendo as duas coisas. Dá tanta vontade de escrever… e de pintar o sete escrevendo.

  7. Coisas impossívelmente- legais-interessantes-bonitas -hilárias-ou -dignas-de-nota-da-semana:
    ler sua publicação neste blog e aprender esse monte de coisa bacana que vc generosamente compartilha com seus leitores sortudos, como eu!
    Bjs, querida.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s