Karina Kuschnir

desenhos, textos, coisas

Não Passei (2) – Janeiro foi fork!

36 Comentários

Karina_Cor.png

. Perdi minha bolsa de produtividade do CNPq.

. Minha proposta de workshop para o evento Urban Sketchers em co-autoria com o Eduardo Salavisa não foi aceita.

. A obra que fiz no meu apartamento há apenas 3 anos está cheia de infiltrações.

. Meu ombro esquerdo não reage à fisioterapia; minha retina direita continua nublada, meus dentes dão problema desde quando eu tinha 8 anos.

Era só isso mesmo. Queria deixar registrado aqui, como uma atualização da primeira versão do Não Passei (1). A gente vê tanta comemoração nas redes sociais. E quem tá mal fica nos bastidores chorando; até a Fran Meneses fica mal, imagina a gente!

Estudar para concurso sem a menor certeza de que vai passar é fork, redigir proposta que não é aceita é fork, reprovar na prova é fork, se ferrar na escola, na entrevista de emprego… tudo holy shirt, como diz a Eleanor da série The Good Place. Já viram?

Por outro lado, tem o outro lado: estou feliz, bem feliz, para ser sincera. Meus amores estão com saúde, temos uma vida cansativa, mas também alegre, musical, artística, engraçada. Nossa onda é pegar sol, fazer mímica, cosquinha, macarrão, mate e pipoca. A gente se ajuda e se alegra tão fácil quanto tá junto.

Alice fez 12, Antônio fez 17, cada dia mais lindos. Os primos estão próximos, tem som de teclado o dia todo na casa, a temporada do TACA tá chegando, as mulheres e os amados lgbtxyw estão na rua, os estudantes norte-americanos estão reagindo; e para não dizer que sou imune à vaidade: os pareceres ad hoc do CNPq foram ótimos (o comitê é que me deu zero em tudo) e o trabalho que tenho desenvolvido na graduação foi citado e comentado num livro incrível sobre antropologia e desenho. E ainda tenho a companhia e o aconchego de vocês aqui: chegamos a mais de 450 mil visitas!

Eu tenho esperança, sempre.

Força para todos que estão precisando. Não vamos ficar nos comparando, nos julgando. A gente se ferra e acerta, tudo é aprendizado. Os cientistas do futuro serão vegetarianos, viverão em comunidades e terão amigos. Vão por mim.

Karina pb

Sobre os desenhos: Imagens que fiz para o projeto de workshop idealizado pelo meu ídolo do desenho, Eduardo Salavisa. As primeiras foram feitas por observação na PUC-Rio, direto com canetinha de nanquim permanente (Pigma Micro n.2, eu acho) e depois coloridas com aquarela em casa. Os desenhos embaixo foram feitos nos jardins do Museu da República, no Catete, no Rio.

Você acabou de ler “Não Passei (2) – Janeiro foi fork!“, escrito e ilustrado por Karina Kuschnir e publicado em karinakuschnir.wordpress.com. Se quiser receber automaticamente novos posts, vá para a página inicial do blog e insira seu e-mail na caixa lateral à direita. Se estiver no celular, a caixa de inscrição está no rodapé. Obrigada! 🙂

Como citar: Kuschnir, Karina. 2018. “Não Passei (2) – Janeiro foi fork!”, Publicado em karinakuschnir.wordpress.com, url: https://wp.me/p42zgF-3Dy. Acesso em [dd/mm/aaaa].

36 pensamentos sobre “Não Passei (2) – Janeiro foi fork!

  1. Pingback: Junho/2018 e Bastidores do blog (2) | Karina Kuschnir

  2. Pingback: Vício terrível | Karina Kuschnir

  3. Gosto tanto de ler você! E como penso parecido! “A gente se ferra e acerta, tudo é aprendizado. Os cientistas do futuro serão vegetarianos, viverão em comunidades e terão amigos. Vão por mim” Tomara! E saberão compartilhar, serão solidários e cooperativos. .Até lá, cá estamos na Universidade, tentando humanizar as relações. Obrigado pela delicadeza da escrita!

  4. hahaha… digitei errado, sono e cansaço… calu.. calu.. música véia que foi de Dalva de Oliveira e Caetano canta lindo:

    Calu
    Dalva de Oliveira

    Calu, Calu
    Tira o verde desses olhos de riba deu
    Calu, Calu
    Não me tente se você já me esqueceu
    Calu, Calu
    Seu olhar depois do que me aconteceu
    Com certeza só não tendo coração
    Fazer tal judiação
    Você ta mangando di eu

    Composição: Humberto Teixeira ·

  5. querida! sempre querida! só amor pro teu ombro, pro olho, pra tudo que não vai bem, pro afilhado, pra filhota, pros amores todxs, que você tem muitxs, e eu também, ggracias a la vida! te AMO.

  6. Oie Karina, eu achei seu blog não tem nem dois meses. Eu não sei se você vai ler esse comentário, mas senti muita vontade de escrever e perguntar algo pra você. Eu faço Artes Visuais na UNESC – Criciuma. Enfim, não é de seu interesse.. preferi “me apresentar” para poder exemplificar mais o por que da minha pergunta. Eu tô lendo tudo que você já postou, e principalmente a parte de Antropologia e Desenho, e estou fascinada pelo seu trabalho e sua pesquisa na área. Achei interessante e instigante por ser um assunto recente, desde já agradeço por publicar coisas a respeito do Urban Sketchers (fico triste que sua proposta não tenha passado, -mesmo ainda não entendendo muito bem como funciona esse evento, se assim posso dizer- e acredito que algum dia vai!!!) A minha pergunta em questão, acredito não ser complexa e talvez seja fruto de uma falta de atenção minha para compreender de fato o que acabei lendo.. queria saber se a prática do desenho tanto no Urban Sketchers e na suas pesquisas e vista como a forma tradicional de observação para fazer uma ilustração ou qual realmente é o objetivo? Entendi que é algo mais descritivo, mas parece que tem algo a mais, uma relação até com acumulação e obsessão de desenhos (o que particularmente adoro.) Enfim, ficou essa duvida pois quando iniciei a faculdade de artes visuais tive em uma disciplina de desenho o conteúdo de ”desenho de observação”, só que ao ler seus textos percebi que os desenhos que vocês ”desenhadores” ilustram não é apenas uma observação… é dai que inicia meu questionamento. (Desculpa por esse exagero de comentário e pergunta.. =s, você é sensacional!!! Beijão ♥).

    • oi Marina, parabéns pela sua faculdade em Artes — que lindo! Sim, concordo com vc: os desenhos servem para muitas coisas além da ilustração!! Muitas! Uma das principais na minha opinião é conhecer e se relacionar com aquilo que se desenha, abrir diálogos, rever suas premissas visuais, enxergar coisas que não via antes… são muitas possibilidades! Escrevi alguns artigos explicando algumas dessas ideias (veja na seção “Antropologia e Desenho” aqui do blog)♥ muito obrigada & seja super bem-vinda ♥

  7. Passar por frustrações e momentos ruins não deixa de ser difícil ou triste, mas acho que aos poucos (deve ser amadurecimento mesmo), conseguimos lidar melhor com esses momentos forks, uma das maneiras é se focar no que, por outro lado, tem dado certo e nos feito bem e acho que esses momentos de cosquinhas, macarrão e pipoca é o que mais ajuda e importa, no fim das contas, né?
    Vou procurar essa série, The Good Place, não conheço (e olha que eu sou a louca das séries! rs).

    Um abração!

  8. Todas essas dicas são verídicas, por isso dedique-se sempre ao qie vaí fazer, foque nos seus objetivos, tenha fé, paciência, calma, que no final tudo dara certo, e os resultados, serao os mellhores.

  9. Como sempre adoro o que escreves. E que pena esse workshop maravilhoso não fazer parte do Simpósio do Porto, tenho a certeza que iria ser um sucesso.

    • Obrigada, Nelson! Melhor do que o evento, seria encontrar contigo e com todos os amigos queridos! mas há de vir uma próxima oportunidade. saudades ♥

  10. Karina, força!!! Como adoro este blog! Pensamentos +++ Sempre 😀
    A Teresa Ogando lá em cima comentou o que eu mesma penso!
    Agora fiquei com vontade de ver essa série: The good place!! :)**

    • Rita, que bom contar sempre contigo. Mesmo à distância recebi seus pensamentos positivos sim! és muito querida! ♥

  11. Sensacional !! Beijo e saudades

  12. CONHECI SEU BLOG ANO PASSADO QUANDO ESTAVA SONHANDO EM PASSAR EM UM CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO. NA ÉPOCA, UMA DE SUAS PUBLICAÇÕES ME AJUDOU A NÃO DESISTIR. EU TINHA MUITO MEDO DE FRACASSAR, MAS CONSEGUI!
    ESTE ANO EU INICIO O CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA. ME SINTO MUITO FELIZ E PRECISAVA VOLTAR PARA AGRADECER.
    AS DIFICULDADES FAZEM PARTE DA VIDA E SÃO FUNDAMENTAIS PARA O MOMENTO DA CONQUISTA.
    SE NÃO EXISTISSE OBSTÁCULOS, FICARIA DIFÍCIL VALORIZAR AS VITÓRIAS ALCANÇADAS.
    UM FORTE ABRAÇO E TENHO CERTEZA QUE NA PRÓXIMA TENTATIVA VOCÊ VAI PASSAR!!!

    • Parabéns, xará!!! fiquei super emocionada lendo seu comentário; desculpe demorar tanto para responder. Que vc tenha uma ótima experiência no mestrado.

  13. Acho que você não é nada pessimista, como escreve no post 1. Você sempre nos enche de esperança. Bejo e bom fim de semana. Rafaela

  14. Talvez seja horrível o que vou escrever, mas é tão bom ver que a vida não é tão perfeita para todos, ou melhor, que nem todos querem mostrar que a vida é perfeita. Em momentos de caos o melhor é compartilhar, assim alivia o coração.

  15. Força Karina! CNPq é aquela velha história, depende de muitas coisas entre as quais a validade da proposta não tende a ser a principal!

    • Obrigada, Doris! sim, pois é… Sou muito agradecida pelos 9 anos de bolsista PQ e estou feliz pelas pessoas que mereceram ganhar suas primeiras bolsas. Vida que segue mais leve! ♥

  16. Você sempre colocando palavras e desenhos naquilo que, às vezes, não temos como dizer. Texto tão real, emociona e conforta. Não passei, não terminei..rs tanta coisa boa e ruim. E a vida não é uma sucessão de uma e outra?

  17. Menina, me orgulho de vc !!!!!!!!!!! Pra mim foi uma lição, quem disse que gente velha não aprende com os filhos? Muitos beijos e, seja como for, PARABENS

  18. Gostei desse seu post de partilhas menos positivas. Mas gostei também muito desse seu reconhecer das coisas boas da vida. Às vezes faz falta sermos gratos, e seus posta com as coisas boas, depois das menos boas, são uma lufada de ar fresco.

    • uma das coisas a que sou muito grata é a sua companhia aqui! muito obrigada pelo incentivo sempre, querida ♥

  19. ahh, que saudade eu estava de poder te ler com calma! (depois de alguns meses fork rs)

    Vontade de dar um abraço, ouvir e contar todas as novidades. To aqui torcendo pra março manter as coisas boas e afastar o máximo possível as ruins.

    Beijo!

    Ps: Diz pro Antônio que eu to esperando ansiosamente a próxima exposição. To só acompanhando pelo instagram 🙂

    • que delícia de comentário, querido — muitas saudades também! encontrei com seu orientador de doutorado e ficamos só te elogiando ♥ quando vc vem comer pipoca com a gente de novo? ♥

  20. querida, que bom ler um post sincero! bjo

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s