Karina Kuschnir

desenhos, textos, coisas


7 Comentários

Dezembro/2018 em cubos

dez2018_p

Sempre fui apaixonada por quebra-cabeças — seja de peças recortadas, de labirinto, de lógica ou até lego. Por volta dos 13 ou 14 anos, ganhei um cubo mágico. Consegui fazer a primeira fileira, mas não avançava além disso. Um dia, de tanto pensar e tentar, sonhei com a solução para a camada do meio! Acordei de madrugada com o coração batendo: testei a sequência e deu certo!

Dali em diante, porém, não teve jeito. Acabei apelando para um manual que ensinava as etapas finais: fazer a cruz na base, colocar os cantos no lugar, rodar esses cantos e, quando menos se espera: o cubo fica pronto. Parece mágica!

Ao longo dos anos, nunca me esqueci das primeiras partes, mas sempre preciso da cola para terminar.

Antônio herdou meu amor pelos quebra-cabeças (imaginem que delícia ter filho pequeno que fica horas montando quadros de 300 a 1000 peças!). Quando cresceu, ficou fascinado pelo cubo. Como já estávamos na era da internet, aprendeu as séries finais no Youtube. Hoje em dia, faz tudo de olho fechado em 1 minuto e meio! Ao contrário de mim, o bichinho nunca esquece a série inteira.

Achei que o cubo embaralhado seria uma boa metáfora para a fase que estamos passando: um desafio que parece impossível de desvendar! Ao contrário do brinquedo, porém, ninguém tem o manual para os próximos movimentos.

Aí vai o calendário do mês de dezembro para imprimir em .pdf (em alta resolução).

Desculpem o atraso de alguns dias. Foi uma semana puxada no trabalho e a minha internet de casa anda uma verdadeira catástofre (assinatura NET cara e ruim… grrr).

O blog completou 5 anos em 6/11/2018 — portanto, estamos começando a 6ª sequência anual nesse mês de dezembro! Em 2019, vou tentar postar com mais antecedência (me cobrem).

Bom dezembro pra todos nós! Vamos tentar pensar em pequena escala? Que venham sonhos e soluções ao menos para a próxima fase.

dez2018_id2

Sobre o desenho: Fiz desenhos de cubos em três posições diferentes utilizando caneta de nanquim descartável preta (Pigma Micron 0.2). Depois escaneei, copiei e colei um monte deles no calendário ainda em preto e branco, variando as posições. Imprimi todo o conjunto e colori à mão com lápis de cor Polychromos. Ficou tão bonitinho… Pena que, ao escanear novamente (a versão colorida), o laranja quase não se diferenciou do vermelho! Ajustei um pouco as cores no Photoshop, mas ainda assim não ficou como no original. Espero que vocês gostem mesmo assim!

Você acabou de ler “Dezembro/2018 em cubos“, escrito e ilustrado por Karina Kuschnir e publicado em karinakuschnir.wordpress.com. Se quiser receber automaticamente novos posts, vá para a página inicial do blog e insira seu e-mail na caixa lateral à direita. Se estiver no celular, a caixa de inscrição está no rodapé. Obrigada! ☺

Como citar: Kuschnir, Karina. 2018. “Dezembro/2018 em cubos”, Publicado em karinakuschnir.wordpress.com, url: https://wp.me/p42zgF-3J2. Acesso em [dd/mm/aaaa].


1 comentário

Dezembro/2017

dez2017p

Pessoas queridas, aí vai o calendário de dezembro/2017. Nem acredito que é o quinto mês de dezembro desde que comecei a postar!

A inspiração veio da chuvinha que começou a cair aqui no Rio de Janeiro. Minhas memórias de infância também são de tempo molhado na época do Natal. Como tenho saudades da casa da minha vó, que tinha um jardinzinho na frente, onde eu e meus primos brincávamos na chuva.

As cores não estão muito natalinas. A culpa é do meu caderninho atual. Posto mais imagens dele na semana que vem (e prometo aumentar as anteriores). Eu estava tão preocupada em terminar o desenho hoje que esqueci de colocar alguma imagem nos dias de Natal e Ano Novo. Só depois de escanear é que me dei conta. Daí fiz os presentinhos e os fogos num papel à parte e acrescentei no Photoshop.

Para imprimir, abram o calendário em tamanho grande em .pdf ou cliquem na imagem acima.

Bom final de semana! ☼

Sobre o desenho: As linhas do desenho do calendário foram feitas com caneta Pigma Micron azul 0,2, depois coloridas com canetas pincel Tombow (azuis) e Faber-Castell pitt brush (amarelo). Foi bem difícil chegar aos tons próximos do original porque o scanner acaba com os azuis claros e escurece os amarelos. Nessas horas eu penso “ainda bem que não sou designer”! Ou não, né? Se eu fosse, talvez não sofresse tanto com o Photoshop. Eu posso dar o passo-a-passo de como escaneio e limpo as imagens se vocês tiverem interesse. Sei que a maioria dos leitores vem aqui para os temas acadêmicos, mas se tiver alguém curioso em Photoshop-amador me avise!


3 Comentários

Mulheres que dizem Não!

dez2015p

Está acontecendo na internet (principalmente no Facebook, mas não só) uma campanha chamada #meuamigosecreto ou #meuamigooculto. É uma hashtag que reúne depoimentos, histórias, desabafos e denúncias de mulheres sobre o machismo do dia-a-dia, principalmente sobre aquele mais sutil, que não te leva para a delegacia, mas te fere constantemente, derrubando a sua autopercepção e a sua autonomia de pensamento, ação e desejo.

Tenho compartilhado, lido e curtido as postagens, pois minha vida mudou quando finalmente entendi a violência por detrás de alguém que se recusa a aceitar o meu “não”: não quero, não posso, não sinto; simplesmente, “minha resposta para você é não”. Acredito que essa e muitas outras lutas feministas são fundamentais para que minha filha e todas as mulheres não precisem aprender a dizer não da pior forma, na marra, sofrendo, sozinhas.

Minha visão do mundo mudou quando conheci o grupo de mães Amigas do Peito. Foram mulheres pioneiras que, em 1980, fundaram um espaço de trocas e apoio mútuo, onde recusavam o controle dos médicos sobre seus corpos e afetos. Tive a sorte de ser ativa no grupo por 11 anos, aprendendo, a cada reunião, que juntas somos mais fortes, mais solidárias e mais inteligentes também, por que não? Eram bem-vindas todas as pessoas, de todos os tipos, gêneros etc., desde que não viessem para mandar nem esfregar diplomas ou quaisquer outros símbolos de sua sapiência. Foi um enorme aprendizado, a cada reunião de apoio, lembrar de exercer a palavra de forma horizontal e dialógica, aceitando as narrativas, os silêncios, os sins e os nãos.

Pode parecer óbvio, mas não é: o direito das mulheres de falar, e principalmente de dizer “não”. Parabéns a todas que estão por trás dessas iniciativas (e não cito aqui os nomes porque não saberia ser precisa), e a todas que estão escrevendo, falando, conversando sobre isso.

Ah, e quase ia me esquecendo de recomendar a leitura do depoimento da Mariana Cavalcanti no blog sempre ótimo A vida pública da sociologia, do João Marcelo Maia!

Sobre o desenho: Caixa é bom demais, né? Me sinto criança de novo! O que será que tem dentro? Presente, livro, chocolate, bilhete, caderno, notícia boa, notícia ruim? Foi pensando nisso que escolhi o tema do calendário de dezembro (pdf). Queria encantar as crianças que imprimem o calendário, como o Henrique, que todo mês anota os dias da mãe e do pai nos quadradinhos em branco. Fui visitá-lo outro dia e me emocionei vendo meus desenhos misturados com a letrinha dele, num plano carinhosamente pensado pela Dani, sua atenta e amorosa mãe. Queria também caprichar no mês que é o aniversário da Alice (10 anos dia 9!) e de uma amiga muito querida! Segue a imagem para o dia (abaixo, que pode ser impressa por esse pdf) para todos os aniversariantes desse mês.

dez2015anivmini

O desenho foi feito com canetinha Pigma Micron 0.05 e colorido com lápis de cor. Me inspirei em caixinhas daqui de casa, inventei algumas, e pesquisei outras no acervo do Victoria & Albert Museum na internet. O tema das cores vermelho e rosa foi inspirado no desenho infantil Charlie & Lola, que amo!

Agradecimentos: Não estou dando conta de responder aos comentários aqui no blog, mas queria dizer o quanto me emocionam e incentivam a continuar. Muito obrigada!