Karina Kuschnir

desenhos, textos, coisas


2 Comentários

Novembro/2016

novembro2016p

Leitores queridos, aí vai o calendário de novembro/2016, a tempo de imprimir antes de o mês começar! Podem clicar na imagem acima para o arquivo em .jpg ou cliquem no .pdf .

Sobre o desenho: Tive a ajuda do Antônio para desenhar as folhas com canetinhas 0.2 Unipin e Pigma Micron. Depois colorimos com vários tons de verde, azul, laranja e vermelho. O scanner sempre rouba boa parte da graça… Dessa vez, deixou os verdes-claros amarelos! Para completar, meu computador está travando direto… então foi o possível de hoje.

Novidade no blog: Consegui finalmente incluir uma seção nova aqui no blog com todos os artigos que tenho publicado sobre Antropologia e Desenho desde 2011 — dois deles em parcerias com os queridos ex-alunos de iniciação científica Pedro Ferraz Gama e Vinícius de Moraes Azevedo. Fiquem à vontade para compartilhar!

Anúncios


4 Comentários

Novembro/2015

nov2015p

Aproveitem a coisa rara: eu entregando uma tarefa com antecedência! Até gosto de cumprir prazos, mas terminar antes é meio contra a minha religião… Acho que foi uma tentativa de fazer novembro — e o meu salário — chegarem mais rápido! (Para imprimir, cliquem na imagem acima ou nesse pdf.)

nov2015anivmini

Fiz também um pequeno desenho para os aniversariantes do mês colarem no seu dia. Para imprimir no tamanho certo, clique nesse pdf que já está no tamanho de uma folha A4.

A inspiração para o desenho veio de uma noite imersa em livros e obras do artista Paul Klee. No dia seguinte, deixei todas as imagens de lado e tentei explorar as cores que tinham ficado gravadas na minha memória. É pena que o resultado escaneado não tenha sido muito fiel às diferenças mais sutis, principalmente nos tons amarelos.

5 Coisas impossivelmente-animadoras-bonitas-interessantes-ou-dignas-de-nota de outubro:

* Achei na arqueologia dos e-mails uma historinha de quando o Antônio tinha seis anos:
A — Mãe, o que você prefere: a Estátua da Liberdade ou o Cristo Redentor?
K — Ah, filho, não sei… E você? (Achando que eles estava falando das estátuas…)
A — Eu prefiro a Estátua da Liberdade. Sabe por que? Por que o Cristo a gente não sabe se existe, mas a Liberdade existe sim.

* Esse mesmo filho chega da escola, agora aos 14 anos, muito animado para fazer um trabalho sobre a luta por direitos civis nos EUA nos anos 1960. E durante duas noites me ensina sobre Nina Simone, Rosa Parks, Malcom X., Panteras Negras e Martin Luther King. Fiquei feliz demais por ele e por sua professora de história. (E perdoem a notinha de mãe orgulhosa: o trabalho foi escolhido para virar painel na mostra anual da escola.)

* Alice segue aprendendo violão, indo de Cold Play, Cazuza e R5. É a minha trilha sonora particular.

* As capivaras na Lagoa estão cada vez mais numerosas e gordinhas. Espero que isso seja sinal de saúde — está sendo um privilégio poder dar bom dia a essas criaturas tão pacíficas. (E esse foi um jeito discreto de dizer que meu projeto verão está em curso!)

* A campanha de venda das camisetas “Câncer infantil tem cura!” vai indo muito bem! Expliquei o trabalho nesse post. Para comprar, é só clicar aqui. Qualquer dúvida, me encomendem diretamente por email ou mensagem de facebook! Faremos uma caminhada no dia 8/novembro, às 9 horas, na orla da praia do Leblon. Toda a renda obtida será revertida para as crianças e jovens com a doença. Abaixo, uma amostrinha de como ficou o desenho que fiz. Nesse próximo domingo (1/nov) a campanha estará no programa Esquenta!, da tv Globo.

camiseta

Sobre o desenho: O desenho do calendário desse mês é muito simples… Fiz os quadradinhos com caneta Pigma Micron 0.05 e colori com lápis de cor Prismacolor e Caran D’Ache.


2 Comentários

Ainda é primavera

nov2014

Flores de papel pra geladeira de vocês! A primavera de 2014 já está quase acabando, mas foi nela que pensei para fazer esse calendário. Casa nova, vida nova! Finalmente chegou o dia (hoje) de receber a mudança que estava há seis meses no guarda-móveis. E, pra completar, na quinta o blog fará aniversário de um ano (viva).

Com toda a trabalheira de terminar a obra e começar a casa, foi um milagre o calendário ter ficado pronto… Quer dizer, milagre não… Não tenho uma força de vontade sobrenatural. Estou conseguindo fazer o desenho todos os meses (nem sempre em dia) justamente porque esse é um desenhar que me faz esquecer de todos os meus problemas. Ainda mais porque uso papel comum, numa folha já escrita, com simples de lápis de cor — ou seja: tensão zero!

Sobre o desenho: Flores praticamente copiadas dos trabalhos da Lisa Congdon e cores inspiradas nos livros da editora Planeta Tangerina (Portugal)!